quinta-feira, 5 de maio de 2016

A girafa que comia estrelas

Ela adora o livro!


Encontrei isto e não resisti a partilhar :)



Já mostraram aos vossos filhos? ;)

terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

O nosso carnaval

Este ano temos uma doutora muito especial. Não consegui ver o desfile dela lá da escola, mas estava um dia tão bom e tão cheio de sol!!! Tão diferente do dia de hoje que chove, chove, ...

O papá fez questão de participar e que feliz ficou ela de ver que tinha o pai a espreitar enquanto desfilava com os amigos...

sábado, 2 de janeiro de 2016

A miopia chegou por aqui!

Uma consulta de rotina transformou-se num grande susto e num sentimento de incompetência como mãe atenta que me considero ser!

O pediatra que acompanha a bailarina falou-me por alto para quando ela fizesse 3 anos, para fazer despiste de visão, consultando um oftalmologista pediátrico.

O melhor da minha zona tinha uma extensíssima lista de espera (de largos meses) e como tal já com mais de 3 anos e meio é que me soa um aviso no telemóvel a lembrar uma consulta para este mesmo dia com apenas 1 hora de antecedência.

Saio de casa com o lanche para ela na carteira e saímos diretos da escola para o hospital.

A conversa preparatória para a consulta foi feita durante a viagem de carro... 

Gosto sempre de a preparar antecipadamente para os acontecimentos que se sucedem. Ela não gosta de imprevistos e ficou desatinada quando lhe disse que íamos ao médico em vez de irmos para casa. 

Para minha surpresa, acabou por se portar lindamente em todos os exames físicos, tendo mesmo respondido às várias questões do médico com exatidão. 

Preparava-me para ir embora, pensava eu com um "está tudo bem, não se preocupe" ou um "volte cá quando ela entrar para o 1º ciclo", quando o médico até então muito calado, me diz sem meias medidas:

- A sua filha vê muito mal. Nunca tinha reparado?

De tão espantada que estava, nem me lembro bem do que respondi... Julgo que respondi apenas um não seco, tendo ficado a rever mentalmente todas as situações que deveria ter prestado atenção e que provavelmente me passaram ao lado.

Perguntou por miopia na família e referi que apenas eu tinha, cerca de 1 dioptria em cada olho, nada de especial. Aliás tenho óculos e só pego neles para conduzir de noite ou para ler as legendas da televisão.

Disse-me que ela tinha pelo menos 3,5 em cada olho e que deveria fazer a dilatação do olho para ter a certeza do valor exato.

Assim, depois de uma semana, ficamos a saber que não era o que se suponha, mas sim 4,25!

A minha bailarina sempre viu imensamente mal e eu nunca me apercebi! 

Ela sempre gostou de ver televisão perto, mas qual criança não gosta? Sempre reconheceu todos os lugares por onde passava de carro. Sempre se encantou com animais pequeninos como as formigas e minhocas da horta, sempre desenhou e pintou bem figuras pequenas e com pormenores. Como podia ter reparado?! 

Pois parece que só durante a escolarização é que os pais se apercebem, mas quando é tanto como 4,25 fico a pensar como é que me escapou algo desta dimensão?

Adaptou-se lindamente aos óculos, claro! Mesmo com o narizito e as orelhitas calejadas e com feridas nas primeiras semanas não os quis tirar mais para nada.




quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

A bailarina a ser bailarina...


Olha! Não é que estão todas deitadas para o lado errado! Só a bailarina é que está certa :D




Do Natal...

O Natal viveu-se por cá com muita alegria e entusiasmo!

A bailarina nunca pediu nada nos Natais anteriores. Aliás nunca a incentivamos a pedir nada. Quanto muito pediu um presente, o que para ela é qualquer coisa embrulhada em papel com um laçarote. Não interessa o que lá está dentro, desde que tenha papel para rasgar, é uma menina feliz.

Este ano, no alto dos seus 3 anos e cansada de ser bombardeada com a mesma pergunta: "O que vais pedir ao pai natal?" lá se decidiu a pedir alguma coisa...

Não pediu uma boneca, não pediu um livro, nem sequer um brinquedo daqueles que dão a toda a hora na televisão [e que ela sabe de cor a músiquinha que entra logo no ouvido]... Mas quando lhe disseram que tinha de escrever ao pai natal a pedir um presente ela lá decidiu pedir um... javali.

E então foi obrigada a ouvir dezenas de vezes a mesma reação dos adultos quando ela dizia que queria um javali. Primeiro a gargalhada, a risota, depois as perguntas: "mas para que queres um javali? queres de javali de verdade, ou um de brincar? mas não podes ter um javali!" 

Enfim,... Depois de muito do mesmo, começou a não querer responder mais à pergunta e outras vezes mostrava-se envergonhada quando o dizia...

Alguém lhe sugeriu que deveria pedir antes uma barbie, e ela para grande prazer dos adultos lá começou a pedir um javali e uma barbie. Assim, acabavam as perguntas e pronto! Nem sei se ela sabia bem o que era uma barbie. LOL

No natal, lá recebeu um javali para pintar, mas não ficou nada entusiasmada com aquilo, porque o que ela queria mesmo era um de verdade para brincar com ele no jardim como brinca com os cães e como brinca com o nosso ouriço cacheiro... Não fosse ele notívago, brincariam mais ainda!

A todos os que por cá ainda tem a paciência de passar, mesmo quando as novidades são poucas e ocasionais: 

Um feliz 2016!!!! 

Beijinhos da mamã e da bailarina :*



sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Os bits de inteligência

Andei a evitar usar o tablet nestas andanças das atividades, já que é uma ferramenta que ela adora e que até já explora sozinha, mas que lhe prende a atenção durante mais tempo do que eu preferiria, no entanto, se bem explorado pelos pais, há aplicações fantásticas para todas as idades.

Esta chama-se Flashcards Portuguese Lesson (Vannala mobile apps). É muito completa, integrando temas como: partes do corpo, animais, alfabeto, números, dias da semana, formas, cores, frutas, legumes e aves.

São bits de inteligência (usados no método de Glenn Doman) que são basicamente cartões com imagens aos quais estão associados um estímulo auditivo, ou seja, a palavra a que corresponde cada objeto). Pretende aumentar o campo lexical, assim como a concentração/atenção.


Esta tem o inconveniente de ser em brasileiro e se quisermos ser picuinhas, na parte da geometria até nem gosto que misturem os sólidos com as figuras geométricas, mas assim mesmo ela gosta e tem algum interesse didático para a idade dela.

Como é difícil de mostar com fotos, decidi partilhar este pequeno vídeo sobre as formas geométricas. 


quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Os sólidos geométricos e as construções



Os blocos de madeira são muito versáteis e ela adora-os! No início, quando são pequeninos dá para trabalhar as cores e depois os sólidos geométricos.

Gosto especialmente de lhe perguntar o nome do paralalepípedo, porque a resposta tem sido o "arapipo" e soa incrivelmente bem! :P

Tentei inovar e decalquei com as cores correspondentes algumas formas para ela sobrepôr. Senti-me boa educadora porque até fui buscar inspiração ao método montessori e pi pi pi, e depois de 2 minutos sem sequer ter terminado a tarefa, diz-me que quer é fazer torres! :(


quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Ela e as letras


Hoje o pedido recaiu nas letras. Letras?! Mas não tenho nada com letras para a tua idade!!!

Lembrei-me de uns autocolante que vieram junto com uma mala de plasticina e afins, imprimi uns desenhos e saiu uma atividade com letras!

L de lua
P de pão
M de mala
...